segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Não há pachorra

Quem me conhece, sabe que sou uma pessoa tranquila, que não me exalto muito, que tolero muita coisa e que não me irrito com ninguém. Ou quase. 
Epa, a sério, não há pachorra. Não consigo mesmo tolerar uma coleguinha minha. Não dá. Acho que nunca me tinha sentido tão enervada com ninguém. É um esforço imenso que faço quando é preciso comunicar com esta pessoa. E agora estou a chegar a um ponto em que nem esse esforço estou a conseguir fazer.Logo quando temos um trabalho importantíssimo para fazermos em conjunto... 
Eu não sou nada assim, isto deixa-me mesmo fora de mim. Como não é habito, nem sei bem lidar com esta irritabilidade. Só me apetece bater-lhe! E chamar nomes, e dizer que não merece partilhar o mesmo espaço que eu e coisas piores. 
Que raivazinha dentro do meu coração já pouco tranquilo...


Orquídea

5 comentários:

Anónimo disse...

Toca a ignorar. Não perca tempo com imbecis.
Sorte

F!l disse...

oh fogo isso é tão mau. Também não sei conviver com pessoas assim que conseguem destabilizar-nos assim sem controlo. Respir fundo, ignora e quem sabe acabes por relativizar essa pessoa. Beijoca

Dantins disse...

Respira, respira... e ignora. Gente assim não merece a nossa ira :P

Anónimo disse...

As alegrias da medicina... Compreendo. Ânimo e que em breve a consigas ver pelas costas.

A.G. disse...

De vez em quando aparece uma "personagem" dessas na nossa vida e temos de fazer um esforço descomunal. Percebo-te perfeitamente e não tenho nenhuma cura milagrosa sem ser ignorar e manter o mínimo de contacto possível para viver melhor.