sexta-feira, 31 de julho de 2009

Singularidades de uma rapariga loira #6

À tarde deitavas-te a meu lado e adormecias. Eu ficava para ali, a decorar nomes estranhos e a observar-te. Tão calma, tão segura. Sim meu amor, comigo por perto não tens que ter medo de nada. Havia dias em que te acordava repentinamente, porque o tempo escasseava, e guardo deles a imagem precisa da tua cara atarantada, a olhar para mim, sem orientação no espaço e no tempo. Noutros dias, suavemente, beijava-te a testa e dizia ao ouvido 'São quase horas, meu amor.', e tu puxavas-me para ti. Curiosamente, era nesses que chegava atrasada.

Volta depressa.

Sem ti, a quem é que vou dizer para tirar o bilhete do metro da carteira quando ainda estamos longe?

Papoila

Lembras-te, meu amor #1

Lembras-te, meu amor, quando te dei a mão pela primeira vez? Lembras-te do perfume do meu pulso?

Papoila

Teoria da Relatividade

Papoila

Saudade em gente de coração mole

Meu amor, como gostava de poder ter sido a tua companhia de viagem. Ter visto o nascer do sol, no avião, com a minha mão a brincar com a tua. Ter sido eu a visitar contigo o museu que a nossa querida P. recomendou. Eu a abraçar-te para não teres medo do mar de rapazes intrometidos do hostel que hoje te dará dormida. Quem me dera ser eu a partilhar as migalhas de bolacha que vais comprar no supermercado mesmo à frente. Quem me dera estar presente para te dar o beijo de boa noite, desviar o cabelo do pescoço para encostar a minha cara. Segredar-te que o dia seguinte vai ser ainda melhor que o de hoje. E que não estás em Paredes de Coura mas não importa. Quem me dera ser eu, meu amor. Quem me dera.

Papoila

quinta-feira, 30 de julho de 2009

This thing called Yoga

Revelou-se uma viagem no tempo.
Papoila

Para ti

Vou de viagem. Vou para os confins da Europa, para longe. Vou andar em hospitais estrangeiros para aprender um pouco mais (não só) de Medicina e vou andar a conhecer aquela zona do Mundo. Vai ser uma experiência incrível.

Mas vou estar longe de ti, é verdade. E custa pensar nisso, sentir que vou estar fora, num mundo diferente e com outras exigências diárias, e tu ficas aqui, em casa, sem podermos contactar com o à vontade que costumamos fazer porque, enfim, ainda não ganhamos para tal. Vão haver dias difíceis, em que as saudades apertam demasiado ou que as horas em casa se tornam complicadas de digerir, mas vai passar. Sabes, vai passar mais depressa do que pensas. Os primeiros dias vão ser complicados até encontrarmos o equilíbrio nas comunicações, mas depois vai passar depressa. Não te vou deixar assim sozinha.

Não sei. Só queria dizer que não te esqueço e que vens comigo. E que também tenho medo e preocupação. Mas que vou cuidar de mim e de ti. E que vou voltar melhor. Para ti.

I'll keep in touch.
Touch.

Orquídea

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Yoga

Hoje vou ter uma aula de yoga. A Orquídea vai estar a meu lado e, quando terminada, vamos jantar fora. Depois espera-nos uma saída bastante movimentada, que decerto não se prolongará muito, pois eu tenho que voltar à capital e ela precisa de uma noite de sono restituinte para se preparar para a grande viagem.
.
No meio de tudo isto, a alegria de conseguir arranjar forma de passar algum tempo de qualidade com ela, e as teorias do professor de yoga (muito cómicas para estudantes de medicina), são das poucas coisas que me permitem alguma paz de espírito.
.
A verdade é que, depois de um ano que me pôs sobre imensa pressão, ainda acordo (e passo os dias) com a sensação de que tenho imenso que fazer e imensa gente a quem tenho que provar que sou boa naquilo que faço.
Suspiro.

Papoila

Férias

Ontem entrei de férias. Amanhã a Orquídea vai viajar.

Papoila

domingo, 26 de julho de 2009

Jantar na Baixa/Chiado

E depois beijei-te no pescoço e o empregado de mesa sorriu para nós.

Papoila

Theodore's thoughts #3

Theodore estava de vestido. Passeava-se pela praia, caminhando ao lado da namorada. Não iam de mão dada, mas olhavam-se curiosamente entre ondas que ameaçavam molhar a perna acima do joelho. Theodore, de peito esguio, mulher jovem, e a namorada, de braços fortes mas femininos, calças pretas dobradas até ao joelho e gravata descaída.

Faziam um par bonito. Theodore apanhava as conchas e a namorada, com traços e de um feminismo acérrimo perdido por entre os suaves jeitos de homem, guardava-as no saco de linho.

Ninguém sabe o que fizeram ao fundo da praia, quando olhos alheios as perderam de vista. Mas eu consigo adivinhar.

Papoila

Singularidades de uma rapariga loira #5

Orquídea: 'Espremo os 70% de água que o teu organismo tem, dobro-te bem dobradinha na minha mala de viagem e, quando lá chegar, encho-te novamente com água! Assim vais pesar os 20kg que me deixam levar no avião.'

Papoila

Will & Grace

Jack e Will são gays. Jack é extrovertido, Will é introvertido. Karen é muito amiga de Jack e detesta Will. Grace é gira e, tal como o seu melhor amigo Will, desespera por arranjar um rapazinho para ela.

O giro disto tudo? A relação entre Will e Grace, a voz esganiçada da Karen com o seu jeito prá-frentex, os maneirismos do Jack e a extraordinária velocidade a que tudo acontece!

Vale a pena.

I'll move on to Big Bangs Theory!

Papoila

sábado, 25 de julho de 2009

O Verão da Orquídea

Vai estimar e reavivar a capacidade de me sentir nostálgica e com imensas saudades.
AINDA MAIS!
=]

Papoila

Singularidades de uma rapariga loira #4

Toca o telefone e falas descontraidamente com a pessoa que está do lado de lá. Ao mesmo tempo, e sem notares, a tua mão sobe pelas minhas costas e entretém-se a encaracolar o meu cabelo por entre os dedos. São tão doces, a brincar com o meu cabelo. E as escapadelas que fazem à minha cara, e que me derretem cada vez que me ajeitas o cabelo atrás da orelha? Quando desligas, só não te encho de beijos quando não posso.

Gosto de ti, meu amor.

Papoila

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Estados de espírito

Papoila

O que me espera

Ainda não estou de férias. Ainda tenho MUITO para ler. Muitas horas a alimentar a minha, já de si considerável, miopia. Mas... com um ânimo diferente! Porque hoje me foram cedidas muitas horas de entretenimento! Vejam o que me espera para este Verão.




Papoila

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Quase Quase!

Eu estou de férias. Ufa. Acabou muito bem, com uma nota que me diz que estou certa... Um novo entusiasmo. E agora, descanso e férias.
O post prometido era o seguinte.

ELA PASSOU! =D Estou tão feliz! Conseguiu livrar-se daquela cadeira bem apetrechada de matéria que tanto tanto tanto trabalho lhe deu este semestre, com tanta hora desperdiçada naqueles livros chatos e intensivos, mas ela conseguiu! Estou muito muito muito orgulhosa e sei que ela merecia este descanso! E merecia ainda mais por toda a dedicação e amor pelo curso. Eu pulei e não conseguia parar de sorrir. So proud! She nailed it to the 3rd year!

E depois faltava mais uma notinha. Uma que aparentemente se está a tornar muito chata. Demora a sair e a ter certezas da necessidade de repetir o exame. E tira-nos a calma, o descanso, tira-nos a possibilidade de aproveitarmos estes poucos dias que vamos ter para acalmar o coração e as saudades de paz. Não temos tido a paz. Ponham velinhas para que aquele pequeno número seja grande o suficiente para nos dar uns dias bons.

Vai correr tudo bem!

Orquídea

terça-feira, 21 de julho de 2009

Férias

Onde se esconderam?
Papoila

Frustrações

Há 9 meses (com algumas excepções como Dia de Natal, Páscoa e pouco mais), que acordo todos os dias antes das 8h, começo a trabalhar o mais tardar às 9h e só paro à noite e nunca antes das 22h30min.
E ninguém, para além dos meus colegas, reconhece ou valoriza isso.

Ai... medicina.

Papoila

quinta-feira, 16 de julho de 2009

I'm anxious

Porque amanhã, se tudo correr bem, vamos à P R A I A!
^^
Papoila

Tarde de estudo #2

P: Olhas para o lado para eu ver uma coisa?
O: (olha para o lado)
P: Mais!
O: Assim?
P: Não, mais!
O: Não dá mais!
P: Estás com nistagmo! =x
O: Não 'tou nãooo! (com ar incrédulo)

Tarde de estudo #1

O: Podes esticar a mão para o sofá para me dares o telemóvel?
P: (assobia a chamar o telemóvel)
[silêncio]
P: (assobia novamente)
[silêncio]
P: Não o ensinaste bem!
O: Quando nasceu, nasceu selvagem!

Spice girls

Deviam vê-la a dançar isto. Volta a ter 7 anos.
E, o melhor, é que resulta sempre para a animar depois de exames orais em que foi massacrada.

Papoila

terça-feira, 14 de julho de 2009

PARABÉNS!

Um grande beijinho para a nossa primeira leitora! Muitos parabéns, Marisa*

Orquídea e Papoila

domingo, 12 de julho de 2009

Hoje, 'cause we have to

Quem adivinha onde vamos jantar?

Repuxem, cuidadosamente, as memórias visuais do cinema americano dos anos 80. Nós ajudamos: é central e com vasta e movimentada vista.

Há recompensa para quem adivinhar! ;)
Pampoula

Sooo male

Check it out!
Here
Papoila

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Boredom is a pattern, not a reality #2

Tango Vadio

18 Julho, 21h, ILGA Lisboa
Aqui

quinta-feira, 9 de julho de 2009

York


Encontrei esta foto para ti. Para renovarmos forças e motivação. Porque te quero a sorrir. Porque sei que este sonho é enorme em nós.

Não vou a lado nenhum sem ti.

Orquídea

domingo, 5 de julho de 2009

Há dias (e dias)

E hoje uma das minhas melhores amigas disse-me 'A julgar pela minha curta experiência com o sexo masculino, a homossexualidade começa a parecer-me a solução mais inteligente a ser tomada.'.

Científico. Mas b r i l h a n t e !

Papoila

Sinto Muito - Nuno Lobo Antunes

Desta vez, vou variar um pouco e sair da colecção para ler um livro que me ofereceram no meu aniversário, o livro "Sinto Muito", do Nuno Lobo Antunes. Estive com o autor por altura do Natal, numa fnac onde distribuía autógrafos e conversava com que quisesse e troquei algumas palavras com ele. Confesso que me pareceu tão snob e prepotente como o seu irmão João, que é quem conheço melhor pelas várias intervenções que fez ao meu estudo naquela biblioteca gelada. Comentou, na altura, que achava, com toda a modéstia, que todos os estudantes de medicina deviam ler este livro. Pensei para mim "Riiight". Mas li-o. E já não vou fazer mais juízos de valor.
O livro é muito triste. O Dr. Nuno Lobo Antunes é neuro-oncologista pediatrico. Ou seja, é quem dá as más notícias, aquelas mesmo más, que envolvem crianças sem grande esperança. É muito triste. É angustiante ouvir/ler aquelas histórias dos miúdos com tanto pela frente a mirrarem em frente aos seus olhos, os pais em sofrimento inimaginável, a angústia do médico por não poder fazer mais. É um homem de um coração enorme. Ele vive cada história como se fosse a sua (mas, obviamente, não perdendo as capacidades médicas que lhe são exigidas) e conta-nos como foi. E doi-nos também.
É um livro cativante não só por estas histórias, mas também pelas referências à sua nacionalidade e respectivas características que sobressaem numa América muito heterogénia, a ligação com a enfermeira irlandesa, a inferioridade perante os outros irmãos e a responsabilidade do seu apelido, as suas experiências iniciais na sua profissão. Leiam. É pequenino quanto baste, lê-se muito bem, a escrita é bonita (tinha-me esquecido de dizer), as histórias são comoventes.
Admiro-o.

Orquídea

Theodore's thoughts #2

Theodore, feminina e bonita, acordara nesse dia como peixe. Peixalaranjada. E foi aí que a Greenpeace, após conhecimento do sucedido, arquitectou a manifestação contra o grupo Jerónimo Martins.

Ninguém resiste a uma mulher que se mova bem no seu meio. E ela sabia nadar na perfeição. Maria posa.

Papoila

My New Favourite Band #1

(porque hão-de surgir sempre mais)
The Organ - Brother

Porque oiço-lhes as guitarras e baixo de Joy Division, a voz de Morrissey e tantas outras influências que julgava já não me entusiasmar assim tanto. Mas isto entra. E são só meninas. E das nossas, ao que parece. Mas não é o que importa.
Oiçam-me bem aquela voz. Não me importo que me recorde tudo isso. The dark eyeliner sound!

Orquídea

Piadomegalia

Em revisões.

O:"O que é a vesícula de Courvoisier?"
P:"Hm... Vesiculomegalia!"

Orquídea

Singularidades #6

Como dizes "compania" e nunca "companhia". Dá ainda mais vontade de a partilhar contigo.

Orquídea

Theodore's thoughts #1

Começa aqui a rubrica fotográfica de Theodore.

Theordore tem alma feminina e corpo de mulher. Usa vestidos de linho, dos vaporosos. Há dias em que acorda um Tomboy e, nesses, veste camisa ousada, poisa a gravata no pescoço, e desfila pelas ruas com sapatos pretos. Chovem críticas silenciosas ao seu jeito de ser. Uno e desprovido de preconceitos. Theodore tem nome de homem e gosta de mulheres. Aprecia-lhes as curvas. Os lábios molhados. O cabelo caído, ondulado ou aos caracóis. Admira-lhes o gesto suave.

God bless her.

Vambora, Adriana Calcanhoto

Papoila

sábado, 4 de julho de 2009

Live Maps Summer

A Orquídea vai passar o mês de Agosto fora. Resta à Papoila, fora de estação e já meio murcha, descansar os seus glúteos por terras portuguesas passeando os globos oculares com a orientação de uma das melhores agências de viagens criadas até então, o Live Maps. Não só me permitirá um transporte cómodo e não turbulento como protege da gripe A e influenzas que tais. Está ao meu alcance um Inter Rail de uns escassos megabytes, repleto de história e aventura.

Who wants to join me?

PS: Durante a vossa viagem não se poupem ao Bird's eye, no campo superior esquerdo.

Papoila

The history of homosexuality


O reflexo do tempo.
(ou 'como a diferença causa tanta inveja')
Aqui
Papoila
Orquídea

Desígnios de Curso


*vou dormir*

Papoila

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Post-it musical #21

'Not Fair', Lily Allen
Aqui

Allen spoke in favor of equality for gay people, in an interview with the Gay Times, and became the first female on the cover of that publication in 12 years.

Minhocas tentam sua sorte #1

Se continuam as investidas juro que lhe exemplifico a Manobra de Taxis.
E não é com o dedo.
Papoila

Conversa Com Virtuoso Sextanista


Chegada ao CS com Papoila em sofrimento doloroso menstrual.
Ele: Então mas... não tomas a pílula?!
P: Não.
Papoila sai para levar injecção no rabiosque.
Ele (para Orquídea): Tu tomas?!
O: Sim, mas só comecei agora.
Ele: A sério?!? Julgava que as miúdas agora começassem logo aos 16!


...Portanto. Vamos incentivar as miúdas de 16 anos a tomarem a pílula cedinho porque não se percebe porque não o fazem. Tromboses? Cancros de mama? Dores abdominais, vómitos, efeitos adversos por aí fora? Naaah. Apetece-me cantar:

"Amigas, 'bora ao médico, 'bora tomar a pílula todas juntas?! Amigas, 'bora ao médico, 'bora tomar a pílula todas juntas?! Vamos tomar todas Pí-lu-la forever!"
(inspiração aqui)

Desculpem, foi mais forte que eu.

Orquídea

PS: Aquela música do link é a mais assustadora que conheço (vá, umas das... que estou aqui a lembrar-me de outras *arrepio pela espinha*). Nem consegui ouvir o vídeo até ao fim para recordar a música. Creepy :|

Objective structured clinical examination

Protocolo de toque rectal executado em 3 minutos, com descrição pormenorizada dos gestos efectuados e caracterização das massas encontradas, acrescentando aspectos de relevância para a comunicação médico-doente e coisas que tais. Saí-me bem e fui elogiada (desprezando o atropelamento de palavras, que saltaram umas para cima das outras na corrida desenfreada contra o tempo). A questão é: ‘Será que o Éffe-Éffe, excelentíssimo director professor doutor da faculdade em questão, também executa toques rectais em 3 minutos?’.

Thank God I’m a Girl (and not her patient at all).
Cultivem-se aqui.
Papoila

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Boredom is a pattern, not a reality #1


Em especial, hoje, dia 2 de Julho, ruínas do Carmo à noite. Vale MUITO a pena!
Orquídea