quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Os Contras Amedrontados e os Prós Arrebatados


(the worst post ever, maybe because of the subject)

Vi ontem, finalmente e por ajuda das nossas vizinhas, o Prós e Contras. Terei sido a única a pensar que o senhor Bacelar Gouveia tem qualquer problema de identidade sexual? Terá ele medo de ser influenciado (ficar apaneleirado, diga-se) se nos começarmos a casar? O pobre tremia cada vez que um de nós o contra-argumentava e ficou claro que nem uma vez foi capaz de ter a decência de calar e ouvir, sem interromper com as suas bocas claramente homofóbicas e despropositadas (tal e qual criança de primária), os que defendiam a nossa causa. Uma verdadeira vergonha para a política do país.

Foi também extremamente perceptível a tentativa descarada de manipular as leis e assustar quem nada sabe de nós e que, por isso, se assusta.

Enfim.

Estou um pouco fora de mim. Aqueles sorrisos irónicos da bancada dos homofóbicos, dos contra o casamento, dos contra o referendo, dos que nos poriam todos numa ilha isolada se pudessem, deixam-me com uma vincada e latejante vergonha de ser portuguesa. Ainda se fosse a minha avó, eu percebia. Mas, for God's sake, eles não são de 1924.

Poupem-me.

Vou agora ter aula de Psiquiatria. Ontem, a médica que nos deu a aula e nosso amigo Daniel Sampaio, tentaram fazer uma lavagem cerebral aos futuros médicos, meus colegas, que ainda consideram os homossexuais uma praga. Há que pensar que *há grandes* do nosso lado, in a manner of speaking.

Papoila

3 comentários:

Marisa disse...

Ainda vou ver, talvez hoje, se a ligação estiver melhor e se o sono e cansaço o permitirem...

Mas, és a favor do referendo?

zephirah disse...

Não vi... talvez não veja de todo. Faz-me confusão a maneira de pensar do povo português. Preocupamo-nos com as coisas erradas. Não queremos saber do que realmente nos diz respeito. Casamento homossexual é "apelo à promiscuidade", "imoral" and so on, como já ouvi...Mas sobre corrupção fica tudo caladinho, por exemplo... E sobre aumentar impostos, ou tomar decisões em que realmente ouvir o povo era necessário, tá lá quieto com os referendos! Não sou homossexual, por isso não tenho nada a ver com o assunto directamente (tenho um bocadinho, apenas porque tenho vários amigos que o são, e que gostavam de casar-se). E ouço a falar deste tema, sobretudo pessoal que não tem nada a ver com o assunto. Porque não alterar lá a leizeca que supõe que o casamento deve ser apenas entre um homem e uma mulher? É difícil? É... apenas porque com isso se está a dar liberdade às pessoas de escolher o que é para elas o amor. E o ser humano não gosta lá muito da liberdade de pensamento... Gosta de a ter, de pensar o que quiser, mas não gosta de a conceder ao outro. E se agora surgisse uma estatística que provasse que 70% da população mundial era homossexual e defensora do casamento entre homossexuais, mas contra o casamento heterossexual? Sentia-me injustiçada, eu não quereria ter que deixar o meu homem amado só porque era homem! Era injusto, não era? É também injusto pensar que a minha papoila não se pode casar, apenas porque se apaixonou por uma orquídea e não um orquídeo! É que orquídeos nem existem, ora essa!! Não compreendo porque é tão difícil às pessoas colocarem-se no lugar das outras e compreender, aceitar opiniões diferentes. Devia haver um curso obrigatório sobre isso:S

(Não vou reler o comment...deve estar meio desordenado, mas enfim... É basicamente o que eu penso sobre o assunto:S)

Beijinhos!*

Papoila e Orquídea disse...

Marisa,

Claro que não =) Beijinho


Amora,

(esquecendo o casamento...) Para a semana há mais batata doce. E da boa! =]
Bêjinhos