segunda-feira, 6 de junho de 2011

Contra-o-quê?!

É preciso um bocadinho de ânimo. O peito pesa muito ao final do dia e o cansaço já começa a ser intolerável. Há que espevitar. Vamos contar histórias mais felizes. Ou, talvez por agora, apenas outras.

Por exemplo, como me impressiona a quantidade de mulheres que nos surgem em consulta de Ginecologia/Obstetrícia que não fazem qualquer tipo de contracepção e não se mostram minimamente envergonhadas ou preocupadas com o assunto.


O que faz para não engravidar?
Nada.
Tem relações sexuais?
Sim.
Mas quer engravidar?
Não!
Então como sabe que não engravida?
Ora! Aparece-me o período!

Eu tinha ideia que, por esta altura, as pessoas já sabem como se engravida e como não se engravida. Há planeamento familiar no Centro de Saúde, onde podem receber de borla pílulas, colocar DIUs ou fazer implantes com os quais não têm que se preocupar durante 3 anos. Até há anúncios muito cativantes de preservativos na televisão. É assim tão excêntrico? E porque me espanta que a maioria destas mulheres despreocupadas não são as adolescentes impulsivas e irresponsáveis mas sim as mães de família com mais de 40 anos que aparentemente se esqueceram que, enfim, ainda não entraram na pós-menopausa?

Orquídea

2 comentários:

Dantins disse...

Faz-me confusão essas atitudes, lembra-me o jogo da roleta russa... Pode ser que não haja azar.

um quarto para duas disse...

É o chamado "quem anda à chuva molha-se"!
Ou talvez devamos mesmo chamar-lhe apenas irresponsabilidade. É que uma mulher com 40 anos já devia ter algum juízo na cabeça.
Enfim...