quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Antes da Ellen, veio a Jodie

O primeiro filme em que me lembro de a ver foi o The Accused. Tinha 8 anos e, na altura, fiquei traumatizada. O papel estava extremamente bem representado, tão real que seria impossível para uma criança digerir aquilo convenientemente. E sozinha.

Mas não é disso que vos venho falar hoje. Hoje falo-vos da declaração que ela fez à namorada, com quem vive há 14 anos e com a qual teve duas crianças. Declaração na qual se expôs discretamente como homossexual perante dezenas de pessoas e que teve de carinho tanto quanto teve de verdadeiro agradecimento.

Terei sempre uma admiração especial por esta mulher. Lindíssima, descontraída (adoro mulheres que usem calções), extremamente profissional, e reservada o suficiente para não se falar da sua vida pelos 4 cantos do mundo. Que teve a coragem de seguir a vida que a fazia feliz e de criar dois filhos, mesmo sendo isso controverso para muitos.

Enfim. Que hajam muit@s como ela, que vão tornando este mundo um lugar mais tolerante.

Papoila

2 comentários:

Dantins disse...

Eu também a admiro imenso e pelas razões que falas. É uma mulher discreta, que não abdica de viver a vida que escolheu sem se preocupar com o que os outros pensam, além disso é uma excelente profissional!!!

Papoila e Orquídea disse...

É incrível não é? O valor dela, ao pé do do George Clooney (perdão às suas admiradoras), é incalculável. O tipo de papéis então, incomparável. Vi uma entrevista da Ellen Degeneres com ela, e ao que parece a Jodie Foster é muito selectiva nos papéis que desempenha. Enfim, pode-se dar a esse luxo, já que está neste negócio desde criança!

Temos muito boas pessoas 'connosco'.

Beijinho! =)*