domingo, 21 de fevereiro de 2010

Liberta

Coisas tão simples como dar a mão. Como encostar a cabeça no ombro ou prolongar um abraço. Como um beijo de despedida ou uma palavra carinhosa. Bastava-me apenas poder brincar à vontade com o meu futuro. Dizer "vamos fazer isto e aquilo". Usar o plural. Sem que mo digam, repetidas vezes, que é uma "obsessão", quando não compreendem o porquê daqueles gestos.
O meu pai diz que estamos demasiado próximas enquanto escolhemos o prato do mesmo menu. A minha mãe acha demasiado se uma de nós brinca com o cabelo da outra por um instante. E o pior é que sinto que, quando souberem o que se passa realmente, não vão diminuir as queixas, antes pelo contrário. A desconfiança, pelo menos, já existe.
Como é que o carinho incomoda mais do que a falta dele?

Orquídea

3 comentários:

Pano pRa Mangas disse...

Recordo-me dessa minha altura.. e afinal foi mais fácil do que eu pensava

complicado?! nem por isso!! disse...

pois .. recordo-me dessa altura.. e pensei que iria ser mais facil...

inesf disse...

Fácil não foi, mas depois de passado está-se muito melhor :)...

eles parecem estar só à espera de ouvir da tua boca :)