domingo, 28 de março de 2010

Carta Primeira

Querida Papoila,

Cheguei. Tenho bom tempo, silêncio e mar, o coração acalma, a cabeça organiza-se melhor e há mais tempo para mim. Mas faltas-me tu. Falta-me mostrar-te a ria, faltam os teus olhos brilhantes sobre os passeios lentos, os teus ouvidos atentos ao sotaque britânico, os gelados a meias, as conversas longas, os risos, as brincadeiras despreocupadas, os segredos no olhar cúmplice. A tua mão na minha. Imagino-nos num carro a guiar sem pressas ao longo da margem, a caminho de paz e conforto. E descoberta, sempre.

Um dia, virás comigo. As duas, apenas. E seremos muito bem vindas. Sempre. Como em todo o lado.


Ninguém sabe, mas estás comigo.

Orquídea

1 comentário:

Dantins disse...

Espro que não falte muito para esse dia... :)