domingo, 20 de junho de 2010

Os Olhos Dela

Não me canso de a olhar nos olhos. De os olhar com atenção, de tentar compreender como foram desenhados. Não são apenas verdes, como dizem quem os conhece pela primeira vez, há muitas mais camadas.
Começou com uma base azul, a cobrir toda a íris. Depois, partindo da pupila, umas pinceladas castanhas para disfarçar a cor de base. Nas margens, saem outras pinceladas, desta vez de um amarelo torrado, para suavizar o ambiente. Por fim, para enganar o curioso à distância, o verde pintalgado por cima do azul de base. E, tudo isto conjugado, resulta num magnetismo irresistível.
A moldura merecia até um texto só para si. Mas guardarei o segredo daquelas pestanas tão bem torneadas só para mim.

Orquídea

1 comentário:

Anita disse...

A minha Rita gostou muito deste post; eu também gostei muito deste post. Acho incrível aquilo que conseguimos absorver das pessoas: se for preciso, até o pestanejar.