sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

E, agora, o meu post sobre o tal assunto!


Fiquei muito feliz com a notícia da aprovação do projecto-lei. Falta o debate que promete ser... vá... interessante, mas estamos a caminho! Finalmente há tomates para se assumirem as responsabilidades politicas e fazer o país avançar sem referendos inúteis (o voto já foi feito, quando se elegeram os senhores deputados!). E não me incomoda minimamente que não se trate já da adopção. O que tinha sido prometido era a questão do casamento, a adopção virá depois, num outro debate, que me parece que será ainda mais polémico (sem razões...), talvez numa próxima legislatura. Não faz mal, que este país tem a sua velocidade ligeira e até está a andar bem neste processo. Vamos embora, um passo de cada vez para não tropeçarmos!

E, I must say, o BE também exagera... Casamento de segunda porque não há adopção? Bem sei que não é "justo" não se poder adoptar, mas, como se tem dito e muito bem, a adopção é uma questão baseada na criança e não no casal e, por isso, a discussão é, e tem de ser, outra. O casamento não é menos válido por isso, o problema é a incapacidade de reconhecer que um casal homossexual pode cuidar e amar uma criança, apenas por preconceito e, essencialmente, ignorância... Mas não deixam de ser um casal e reconhecidos como tal!

Meus senhores, não se enervem tanto que isso faz-vos mal ao coração! Enfim, política...

Orquídea

2 comentários:

Dantins disse...

Eu compreendo bem o argumento de "casamento de segunda" do bloco, vamos lá ver se me sei explicar...
Eu quero ser tratada como igual, logo ao permitirem que me case, mas ao deixarem de fora a questão de poder aumentar a minha família, continuo a viver uma desigualdade.
Para ti pode não ser uma questão urgente, mas para aqueles (mais velhos que tu)que desejam ter um filho os anos continuam a passar e começa a ser tarde para o fazerem.
Para mim a questão da adopção tem que ser vista exclusivamente sobre o interesse da criança, o importante é que esteja assegurado o bem estar físico e psiquico da criança, independentemente do sexo daqueles que a vão criar.
Por estes motivos é que entendo que casamento e adopção deveriam andar à mesma velocidade.

Papoila e Orquídea disse...

Concordo com tudo o que dizes! A adopção é realmente algo que tem de ser tratado quanto antes e, bem sei que ainda sou nova, mas sei que não é justo nem para os casais e muito menos para as crianças ficarem privados de uma adopção que pode ser importante para todos. Mas já acho este passo tão importante que sou capaz de tolerar um desfasamento relativamente à discussão da adopção. Que há-de chegar e não faltará muito!
Eu também compreendo o que querem dizer com "casamento de segunda", tens razão, mas sinceramente acho que é um pouco de aproveitamento politico e ai deles que não aprovem só porque não tem a adopção! Claro que por mim ficava já tudo despachado mas enfim, mais vale um pássaro na mão que dois a voar...