quarta-feira, 11 de agosto de 2010

My lovely mirror

Lembro-me dos dias em que te conheci e, para avivar os sentidos, ponho The Gift a tocar. Serão sempre estes acordes que me recordarão com exactidão os meus lábios a aproximarem-se de ti, assustados, pedindo autorização para se ousarem.

Nesse dia ouvimos a Sónia a cantar junto ao Tejo, na companhia de uma estrangeira que se nos juntou e que, ao contrário de nós, sabia exactamente o que se estava a passar connosco. Havia ali um clima pouco usual.

Senti, pela primeira vez, a opressão de não te puder beijar desmedidamente. Bastava-me olhar para ti e a frustração expandia-se, tanto que até o estômago se ressentia e as pernas tremiam. Sensação estranha a de querer tanto uma pessoa e, ao mesmo tempo, não nos permitirmos a isso.

Papoila

2 comentários:

Flor(es) do Reggae disse...

Adorei o texto, muito bonito mesmo!
Beijo, T.

Candy disse...

que maximo.. ate a mim me deu borboletas na barriga:)

o vosso amor é lindo

beijoquinhas e sejam mt felizes

boas ferias