segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Plingrafias II - A Ribeira

Encontrámos por lá o sítio ideal para descansar do estudo. Depois de uma tarde de trabalho, nada como ir para a ribeira dar um bom mergulho. Foi aqui que andámos a saltar de pedrinha em pedrinha, a tirar centenas de fotografias, a ver os peixinhos na água que brilhava por causa do granito das pedras por baixo, onde a Papoila se aventurou em saltos e, quando julgávamos que ela até já estava a aventurar-se demais, onde assistimos a acrobacias loucas dos imigrantes que por lá andavam. Uma coisa é saltar de uma altura de dois metros, outra é trepar a corda, subir para um ramo ainda mais alto e saltar de uma altura de cerca de 10 metros para uma zona que não é tão funda quanto isso... Felizmente, não tivemos de brincar aos médicos por lá.Aqui ficam, então, algumas fotografias deste pequeno paraíso.

Estão a ver a corda de que falei?

E lá ao fundo, a Árvore Que Não Acaba (assim baptizada por mim)

Orquídea

1 comentário:

Dantins disse...

Mas que belo aspecto, bem que dava uns bons mergulhos (sem acrobacias da árvore) nessas águas...

Vou-me concentrar nos dois dias e meio que faltam para eu ir de férias :D